Entrevista no Programa do André Ferreira em Ação para a TV Canal 21

E-mail Imprimir PDF

Última atualização em Seg, 12 de Janeiro de 2015 16:54
 

Destaque do Trabalho de Valber Meireles no Jornal o Globo

E-mail Imprimir PDF

Última atualização em Seg, 12 de Janeiro de 2015 16:29
 

Terceiro Lugar "Composição Inédita" no FESTIVAL SESI de 2011

E-mail Imprimir PDF

Última atualização em Seg, 12 de Janeiro de 2015 17:10
 

História e geografia cantadas em CD 28/04/2002

E-mail Imprimir PDF

O professor Valber Meireles une o útil ao agradável na arte de ensinar e cantar História e geografia cantadas em CD
Valber Meireles é professor, cantor e compositor que desenvolve um trabalho que ele define como “artístico-histórico-didático-pedagógico” para todas as pessoas da Região do Noroeste Fluminense, com um trabalho que não visa o lado comercial. O professor itaperunense Valber Meireles tem feito sucesso com um CD que em 14 músicas conta detalhes sobre a geografia e a história de Itaperuna e está sendo utilizado como forma didática e pedagógica do ensino destas matérias por muitos professores das redes municipal, estadual e particular de ensino.
O CD “Caminho da Pedra Preta” tem a finalidade de valorizar a história do município destacando na sua geografia o seu majestoso Rio Muriaé que nasce em Minas Gerais e deságua no Rio Paraída do Sul. Itaperunense de nascimento, Valber Meireles é membro da Academia Itaperunense de Letras e professor do município e da Faetec onde trabalha com a cadeira da Língua Portuguesa. Acreditando que os seus conterrâneos estavam sem rumo, meio perdidos em função da massificação, resolveu gravar o CD para auxiliar na identificação do povo com seu meio ambiente, com sua cultura e história em composições que tratam de temáticas envolvendo a Região Noroeste Fluminense.
“Primeiro lugar compus canções como: “Caminho da Pedra Preta”, “Este Chão”, “Meu Lugar”, “Rio Muriaé”, etc, todas traçando um perfil de nossa região. Se criaram músicas para o Rio de Piracicaba, Rio Paraguai, por que não homenagear o nosso rio?
Como sou professor, procurei desenvolver um trabalho que valorizasse a nossa terra. Não adianta conhecer o mundo grego, romano, europeu, americano, se não conhecemos a nossa casa. Aí surgiu um trabalho artístico-histórico-didático-pedagógico,” disse Valber Meireles. Os alunos não sabiam onde nascia o Rio Muriaé ou até mesmo algumas de suas características, com o CD os alunos interpretam a letra e cantam a música em sala de aula. No que se refere aos temas históricos algumas músicas trazem informações do porque Itaperuna tem esse nome, que quer dizer “Caminho da Pedra Preta” que empresta o nome ao CD.
Para escrever as letras das músicas a história do município foi investigada e até mesmo a capa da obra e cheia de ilustrações mostram momentos históricos de Itaperuna registrados em fotografias, onde ao fundo o Rio Muriaé, nas proximidades da Estação Leopoldina, acompanhada da Maria Fumaça, próximo ao Hotel Meirelles; o portal da Fazenda São José, doado por D. Pedro II a José de Lannes Dantas Brandão, desbravador da região; o Cristo, a Pedra Elefantina (Porciúncula) que deu origem ao nome da cidade mais importante do Noroeste Fluminense.
Um grito de incentivo ao reflorescimento e à vida. O CD “Caminho da Pedra Pedra” é uma aula para alunos da região. O professor, cantor e compositor Valber Meireles, vem realizando apresentações em escolas, feiras culturais e com boa receptividade na Merco Noroeste onde vendeu cerca de 700 CDs só em Itaperuna. Algumas faixas do CD apresentam conteúdo ecológico, como: “Passarinho”, “Paisagem Entristecida”, “Cantador”, “Cantoria de Pássaros”. Todos os arranjos viajam nas notas do violeiro Paulinho Cardoso, tendo Pedro Márcio Ribeiro na bateria.
Valber Meireles está finalizando o seu segundo CD, provisoriamente com o título “Semeando Poesia pelos Campos”, com 14 faixas de cunho regional, ecológico e infantil. “Neste CD está o nosso brado, o nosso grito. Incentivamos o reflorestamento, a reciclagem, a conscien-tização, incentivamos à vida... Estamos preocupados com o futuro do planeta, estamos preocupados com a água, com nossas florestas. Nosso trabalho não é comercial. Não estamos preocupados em agradar as gravadoras com barulhos que incitem a violência ou agucem a sexualidade”.
Valber quer fazer música que transmita uma boa mensagem, toque os corações, que faça pensar, que conscientize. As pessoas precisam de ideais, de visão de mundo. “Um dia, alguém irá nos ouvir... com certeza”, acrescentou Valber.
O Diário Norte Noroeste Fluminense

Última atualização em Qua, 14 de Janeiro de 2015 17:04
   

Destaque como Músico Itaperunense pela Revista Estilo off

E-mail Imprimir PDF

Última atualização em Qua, 11 de Março de 2015 23:07 Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Página 5 de 7

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.