Brindando com poesia

E-mail Imprimir PDF

TROVAS
Se o vento levasse o amor
Poria os sonhos em prova
Mandaria o beija-flor
Declamar-te esta trova.


Um momento de invasão
Faz gerar a nova vida.
Dádiva da criação,
Quando o ser se engravida!


Um encontro de gametas
Se interando como poucos!
Uma viagem por planetas
Desenhando um mundo louco!


Um pequeno verso voa
Das notas de minhas canções.
Singelo e calmo povoa
De amores os violões.

 

O Poeta
Sou um poeta que semeia palavras
Planta sentidos e Colhe emoções
Minha flor é diferente
Porque é minha
Perfuma a alma
Enternece o espírito
Sou poeta carpinteiro
Crio portas para os sonhos
Janelas que dão para o infinito
Por elas entram e saem luz
Sou poeta da razão
Mas me perdi no belo
Há brandura e êxtase nos sentimentos
Vago em sensações e leve
Pairo em busca de mim
Encontro o poeta pensando...
Asas valentes percorrem os céus
E o poeta principia o canto
São sons em acordes e vozes cristais
Loucuras no espelho de mim
Olho o poeta...quem sou?...
Andarilho das palavras e das imagens
Sou verso inverso romã e amor
Poesia das sementes a fecundar o ser..
. Publicado no Jornal Tribuna do Noroeste - 06/11/2004

Brindando com poesia
Poesia é o momento. É o agora. É o ontem, o hoje, o amanhã.
Poesia é esse algo viandante, que percorre os sentimentos, viaja por todos os lugares, caminhos, ruas, estradas. Poesia é esse silêncio perfumado de música, somente os loucos entendem, é esse tocar de clarins, é o inexplicável, é aquilo que surpreende, comove. Poesia faz rir, chorar, emocionar, gritar, ter espasmos, faz viver. Poesia é vida!
A poesia já nasceu com Deus, se Ele não tem princípio, meio e fim, ela também não tem. A criação de Deus é poesia, a criatura, também. Ela está no tudo e no nada.. Ela está na luz, o poeta também tira-a das trevas. A poesia precede o poeta - única execeção: Deus, o Poeta e Esteta maior. Por essas razões devemos brindar, deixar tilintar as taças, sorver o licor poético, embriagar-se, inebriar-se em seu aroma.
Taça é somente taça, apenas recipiente, seve simplesmente para brindar. as o que está dentro dela é pura arte. Não que a taça não a seja, porém a bebida, esta sim, nos extasia. Há tantas maneiras de se embriagar e tantas bebidas... entretanto, a melhor embriaguez é a poética.
Brindemos então, com poesia, soltemos pelos ares nossos risos, nossas sensações e emoções, nossos sonhos, nossas imagens, nossos seres! Brindemos a vida, bebamos! Que a taça esteja cheia de poesia! Tolos são aqueles que não a bebem, desconhecem as belezas da vida, não experimentaram o gosto e o sentido das coisas, não navegaram a mansidão, não frutificaram palavras, não cantaram aos ventos, não amaram, não viveram.
Ah, poesia, dá-nos sabedoria para te encontrar, direção para te seguir, água para nos banhar, pão para nos alimentar. Deus criou tudo, o resto é por sua conta!
Publicado no Jornal Tribuna do Noroeste - 19/Setembro/2006

comments
Última atualização em Sex, 06 de Março de 2015 11:57  

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.