Poesias

E-mail Imprimir PDF

 

É momento sublime, cante...
Todo o Belo quer que tu sejas amante
E glorifique a vida com teu olhar.
Olhos cor da natureza viva que rebrilham,
E que suaves e ternos inspiram,
Revelando de teu dia, mistérios de luar.
Toda natureza é você
E a natureza me fascina
Tento embriagar-me em seus lábios
E esse contorno me alucina
Circulando em suas veias
Eu me perco na piscina.
Da natureza encantadora
Surgiste como poema.
Declamar-te-ei meus versos,
E serás minha inspiração, meu tema.
Eu luto
Contra o tempo
Contra o vento
Contra a hora...
Quero ser um passarinho
Livre para voar
Com canto tão afinado
Fascinado por te encantar.
Cadentes vozes que clamam justiça
Vêem que o direito não mais consola.
Consagradas vozes que repicam agudas
Não querem o povo suplicando esmola.
Quero ter alma de aprendiz de poeta,
Criar ideias novas é a minha meta,
Preciso fazer ressurgir por inteiro a emoção.
Quero com as palavras mudar o rumo da história
Levar a todos o sabor supremo da glória,
Encher-me de alegrias por um mundo irmão.
Aflora a ânsia de me banhar em enlevo,
Percorrer sutil todo o seu relevo
E amar num envolver de laço.
Deslizar sobre seu corpo sedento
Num espasmo infinito, lento...
Perpetuando febril em seu regaço.
Extraí o fruto da terra
E me alimentei de migalhas...
Senti o cair da chuva intensificando os mananciais
E pereci com sede...
Do meu ser
A essência não é mais a razão
Não vejo a ciência
Só sinto a emoção...
A poesia vive
Não sei
Nem crio
Sou um sem sentido
Em seu mundo mágico
Talvez não a sinta
Nem exista em mim
Mas eu existo nela.
Não sei se sei voar
Meu campo é imenso
Minhas asas pequeninas.
Sei que não sei voar
Minhas asas são imensas
O meu campo pequenino.
Aí sobrevoo a vida
E pouso na eternidade.
Quando deixas
Despencar de teus olhos
Lágrimas de felicidade
Eu as bebo
Como um sedento no deserto
E teus olhos
São o cálice inundado
De alegrias
Onde mato a minha sede.
Simplesmente,
Tudo de bom.
Calmamente,
Esse é o tom!

Um olho olha
Com um olhar disperso.
Enquanto a chuva molha
Componho um verso.
comments
Última atualização em Sex, 06 de Março de 2015 12:08  

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.